PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Guiné Equatorial. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Guiné Equatorial. Mostrar todas as postagens

domingo, 7 de setembro de 2008

Malabo 04 - Guiné Equatorial - África




sábado, 6 de setembro de 2008

Malabo 03 - Guiné Equatorial - África




Malabo 02 - Guiné Equatorial - África




Malabo 01 - Guiné Equatorial - África





Malabo é a capital e maior cidade da Guiné Equatorial. Localizada na costa norte da Ilha Bioko (antiga Fernando Pó) sobre a borda de um vulcão submerso. O porto da cidade está localizado no Golfo da Guiné. A população da cidade é de cerca de 96.000 habitantes (estimativa de 2007). Os idiomas oficiais são o espanhol, principal, e o francês. Malabo é também a capital da Região Insular, da província de Bioko Norte e do distrito de Malabo. É a cidade mais antiga da Guiné Equatorial, onde se pode ver uma abundância de edifícios de arquitetura colonial em coexistência com os edifícios modernos. As ruas, veredas quadradas revelam uma pré-concepção de cidade moderna, com zonas pedonais em todas, mas pelo tempo da sua concepção, prevê espaços verdes e de lazer, um fenômeno que provoca uma sensação de arquitetura de pressão, temperada pela baixa altura dos edifícios, com uma mistura entre ocidentalização e africanismo equilibrado. Malabo possui uma população relativamente jovem. Aproximadamente 45% da população da cidade não supera os 15 anos. Em torno de 4% da população têm mais de 65 anos. A maioria da população ainda vive nas zonas rurais da ilha. A cidade, em concordância com o país, é de maioria católica, refletindo o colonialismo ocidental. Mais de 80% da população intitula-se católica e e aproximadamente 4% têm religiões tribais. O islamismo também está presente na cidade, além do judaísmo. Algumas comunidades cristãs, como os mórmons e as Testemunhas de Jeová, também estão presentes em Malabo, embora em menor número. Malabo é o centro comercial e financeiro do país. A economia de Malabo baseia-se na administração e outros serviços, o comércio é uma das atividades mais vigorosas desde a chegada e exploração pelas companhias americanas dos poços petrolíferos próximos à costa e a presença dos norte-americanos e latinos americanos, bem como nigerianos, camaroneses, espanhóis e outras pessoas procedentes dos países da África Central. As substanciais receitas provenientes do petróleo não têm sido aplicadas, pelo governo de Malabo, na redução da pobreza do país. A principal indústria da cidade é a do processamento do pescado, enquanto o cacau e o café são os principais itens de exportação. Construções de destaque em Malabo incluem a Catedral de Malabo, o Prédio do Governo de Malabo e o Prédio do Tribunal de Malabo. O centro conserva todavia alguns belos, porém deteriorados, edifícios coloniais de madeira do século XIX. Merecem destaques as vistas sobre o Monte Camarões, uma vez que as grandes montanha da ilha se encontram geralmente cobertas por nuvens. Na gastronomia, são famosos os restaurantes onde são servidos destacáveis pratos de pescado na brasa. Algumas construções da época colonial: Catedral de Malabo Palácio da Presidência Casa da Espanha Praça da Independência Casa Colonial Bahia do Porto Igreja Ela Enguema