PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Mongólia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mongólia. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Ulan Bator 03 - Mongólia - Ásia







Ulan Bator 02 - Mongólia - Ásia







Ulan Bator 01 - Mongólia - Ásia








Ulan Bator é a capital e a maior cidade da Mongólia. Tem cerca de 819 mil habitantes, segundo números oficiais; estima-se que existam mais 150 mil habitantes não recenseados. Foi fundada em 1639 e designou-se Urga até 1924. A partir desse ano, a cidade ganhou o nome atual, que significa "herói vermelho", na língua mongol. Localizado no centro-norte da Mongólia, a cidade encontra-se a uma altitude de cerca de 1.310 metros, em um vale no Rio Tuul. É o principal centro econômico, corporativo e cultural do país. Ulan Bator é, ainda, o centro da rede de estradas da Mongólia, sendo servida por um transporte ferroviário extenso, entre os quais a Transiberiana, que a interliga ao sistema ferroviário da Rússia e da China. A cidade é servida também pelo Aeroporto Internacional Chinggis Khaan, o mais movimentado na Mongólia. A cidade foi fundada em 1639, inicialmente como um centro monástico budista móvel (nômade). Em 1778, ela estabeleceu-se definitivamente na sua atual localização, na confluência dos rios Tuul e Selbe. Pouco antes disso, Ulan Bator mudou de localização vinte e oito vezes, com cada local sendo escolhido cerimonialmente. No século XX, Ulan Bator cresceu e tornou-se um importante centro de produção, vindo a ser a capital mongol a partir de 1911. Uma vez que a cidade foi transformada na capital permanente do país, teve uma série de palácios e residências nobres em uma área chamada Öndgiin sürgiin nutag. O Jebtsundamba Khutuktu, que mais tarde foi coroado Bogd Khan, tinha quatro residências imperiais principais, que foram localizadas entre o Oriente (Dund gol) e o rio Tuul. O palácio de verão foi chamado Erdmiin dalai Buyan soma chuulgan ou Bogd khaanii serüün ord. Outros palácios são o palácio White (Tsagaan soma ou Gьngaa dejidlin), e o palácio Pandelin (também chamado de Naro Kha Chod soma), que foi situado na margem esquerda do Rio Tuul. Alguns dos palácios também foram utilizados para fins religiosos. Portão do Palácio de Inverno. O Palácio de Inverno do Bogd Khan permanece como um museu do último monarca. O complexo inclui seis templos, muitos do período Bogd Khan e posses de sua esposa estão em exposição no edifício principal. Entre os mosteiros antigos mais notáveis estão o Choijin Lama, um mosteiro budista que foi concluído em 1908. Ele escapou da destruição de mosteiros ocorrida na Mongólia, quando foi transformado em museu em 1942. Outro mosteiro importante é o Gandantegchinlen, que data do século XIX. A sua mais famosa atração é uma estátua de ouro de 26,5 metros de altura chamada Avalokiteshvara. Estes mosteiros estão entre os poucos na Mongólia que escaparam da destruição resultante dos ataques à mosteiros mongóis, promovido pelo líder comunista Khorloogiin Choibalsan. Ulan Bator tem vários museus dedicados à história e cultura mongol. O Museu de História Natural dispõe de muitos fósseis de dinossauros e meteoritos encontrados na Mongólia. O Museu Nacional da Mongólia inclui exposições desde os tempos pré-históricos, através do Império Mongol até os dias atuais. O Museu de Artes de Zanabazar contém uma grande coleção de arte da Mongólia, incluindo obras do século XVII, do escultor e líder espiritual Zanabazar, assim como a pintura mais famosa da Mongólia, One Day, de autoria de B. Sharav. O Museu do Teatro Mongol apresenta a história do teatro e os espetáculos mais relevantes ocorridos na Mongólia. Há ainda o Museu Lenin. Artefatos datados dos séculos XVII e XVIII, como a estátua Vajradara - feita pelo próprio Zanabazar em 1683 - também podem ser encontrados nos museus da cidade. Entre tais artefatos também podem ser citados um chapéu de sândalo de autoria de Zanabazar (c. 1663), o grande casaco de pele, também de Zanabazar, que também foi apresentada pelo imperador Kangxi, e um grande número de estátuas originais também atribuídas a Zanabazar, como a Tara Verde. O Memorial Zaisan, um memorial dedicado aos soldados soviéticos mortos na Segunda Guerra Mundial, fica em uma colina ao sul da cidade. O Memorial Zaisan Memorial inclui um tanque soviético pagos pelos povo mongol e uma pintura memorial circular que no realismo socialista descreve cenas de amizade entre os povos da União Soviética e na Mongólia. Os visitantes que fazem a longa subida até o topo são recompensados ​​com uma vista panorâmica de toda a cidade no vale.