PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Nauru. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Nauru. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Nauru 03 - Oceania



Nauru 02 - Oceania




Nauru 01 - Oceania





Nauru, oficialmente República de Nauru e antes conhecido por Pleasant Island (em português: Ilha Aprazível), é um país insular do hemisfério sul, localizado na Oceania, que compreende uma área de 21 quilômetros quadrados, o que faz dele o menor país insular do mundo. A ilha mais próxima ao país é a Ilha Banaba, no Kiribati, 300 quilômetros a leste. Nauru é uma ilha rica em rocha fosfática, e a sua atividade econômica primária desde 1907 foi a exportação de fosfato da ilha. Com o esgotamento das reservas de fosfato, seu ambiente severamente degradado pela mineração, e a confiança estabelecida para administrar a riqueza da ilha significativamente posta em causa, o governo de Nauru ordenou medidas excepcionais para obter rendimento. Desde 2001, aceitou o apoio do governo australiano, em troca do qual a ilha acolhe um centro de detenção para pessoas que procuram asilo na Austrália, que é parte da sua "Solução Pacífica". Nauru é uma pequena ilha de fosfato rodeada de um arrecife que fica exposto com a maré baixa ao oeste do Oceano Pacífico, ao sul das Ilhas Marshall. A maior parte da população vive em estreito cinturão costeiro. Uma planície central cobre aproximadamente 45% do território e se eleva uns 65 metros sobre o nível do mar. Possui uma pequena laguna ao sudoeste da ilha, chamada Laguna Buada. A extração intensiva de fosfato por parte de empresas britânicas tem afetado muito o ecossistema de Nauru, deixando os 90% da parte central da ilha com uma planície não cultivável, além de limitar os recursos atuais do país. Nauru era uma das três grandes ilhas de fosfato no Oceano Pacífico (as demais são Banaba, em Kiribati e Malatea, na Polinésia Francesa); porém, as reservas de fosfato quase estão esgotadas depois de devastar os 80% da ilha, deixando um terreno estéril de pináculos de caliza de até 15 metros de altitude. A mineração também teve um impacto sobre a vida marinha, que veio a reduzir em até 40% as espécies. Devido a sua proximidade com a linha do Equador, o clima de Nauru é equatorial, com constantes chuvas e monções entre os meses de novembro e fevereiro. A disponibilidade de água doce é limitada. Assim, as populações dependem do uso de tanques para recoletar a água e da provisão de uma dessalinizadora. Há apenas sessenta espécies registradas de traqueófitas na ilha, nenhuma das quais endêmica. A atividade humana teve repercussões sérias sobre a vida local. Não há mamíferos autóctones da ilha, mas há pássaros, além de insetos e moluscos. Espécies como ratos-do-pacífico foram introduzidas recentemente na ilha, bem como gatos, cachorros, porcos e galinhas. A vegetação tropical é frequente sobre o litoral e ao redor da Laguna Buada, mas relativamente ausente no centro da ilha por causa da exploração mineira. Existem algumas espécies endêmicas em Nauru cuja sobrevivência está comprometida pela destruição de seu habitat natural por parte da exploração mineira, a contaminação e a introdução de espécies invasoras (cachorros, gatos, galinhas, ratos da polinésia, etc). O ambiente marinho (em particular o cinturão de coral que cerca a ilha) foi degradado pelos exploradores unidos à exploração de fosfato e a urbanização.